Saiba Tudo Sobre A Cirurgia De Histeroscopia CirúRgica

9 de setembro de 2020 Off Por Jornalista

Saiba sobre infertilidade aqui.

histeroscopia

Saiba Seu PeríOdo FéRtil Use A Calculadora Da Fertilidade

A histeroscopia cirúrgica é um procedimento cirúrgico (operação) que serve para tratamento de algumas patologias (doenças) benignas da cavidade uterina (interior do útero). Nas situações mais simples pode ser realizada em consultório e, nos casos mais complexos, é realizada no bloco operatório, designando-se neste caso por ressectoscopia. O médico juntamente com a paciente podem discutir as possibilidade de tratamento, levando em consideração o risco de desenvolver câncer, a presença de sintomas desagradáveis e o seu desejo de engravidar.

Na histeroscopia cirúrgica em consultório, uma das complicações mais frequentes é o síndrome vagal (sintomas de náuseas e vómitos, suores e sensação de desmaio) que ocorre nos procedimentos mais demorados e mais complexos, estando associado a uma dor mais intensa. Quando estes sintomas se iniciam o procedimento é imediatamente interrompido havendo recuperação espontânea da doente em poucos minutos. Os casos de maior risco são os de obstrução do canal cervical (colo útero).

Esse exame consiste na introdução de uma câmera por meio do colo uterino, para visualização direta da cavidade uterina e realização de biópsia de lesões suspeitas, caso seja necessário. Fiz uma histeroscopia cirúrgica com re ssetectoscopio para retirada de um pólipo no dia 30 de abril. Histeroscopia cirúrgica tem como objetivo tratar as alterações existentes dentro do útero.

histeroscopia

Em seguida, o canal cervical foi dilatado e foi realizada a ablação do endométrio. Enviou-se o materials obtido das duas biópsias e o produto da ablação foi mandado para exame anatomopatológico. Nos casos em que existiam pólipos, foi realizada a polipectomia previamente à ablação e foi enviado o materials obtido separadamente.

Antes da cirurgia e com a paciente já anestesiada, foi realizada uma fertilidade diagnóstica com biópsia dirigida do endométrio da parede anterior com histeroscópio de Bettocchi com canal acessório e pinça de biópsia. A seguir, foi retirado o histeroscópio e realizada uma biópsia orientada com cureta de Novak.

Esta conduta é mais comum nas mulheres jovens que não apresentam qualquer sintoma relacionado ao pólipo uterino. A histeroscopia cirúrgica é um procedimento ginecológico realizado em mulheres que possuem sangramento uterino abundante e cuja causa já foi identificada. Assim, por meio desse procedimento é possível remover pólipos uterinos, miomas submucosos, corrigir alterações da cavidade do útero, remover aderências do útero e retirar o DIU quando este não possui fios visíveis. A histeroscopia diagnóstica com biópsia dirigida é considerada padrão-ouro para avaliação do sangramento uterino anormal, porque permite visualização direta de toda cavidade uterina, com visão magnificada para avaliar possíveis afecções. O resultado final de uma histeroscopia diagnóstica é a somatória do exame endoscópico com o resultado do exame anatomopatológico da biópsia endometrial.

Como retirar Polipo no útero?

Cirurgia para retirar o pólipo
A polipectomia através da histeroscopia cirúrgica pode ser indicada para todas as mulheres saudáveis, pois os pólipos podem dificultar a implantação do óvulo fertilizado no útero, o que diminui as chances de gravidez.

Esta situação tem resolução espontânea e associa-se a dor e perda de sangue, geralmente em pequena quantidade. Nos casos em que ocorre perfuração na cavidade uterina com um elétrodo bipolar ativado pode haver necessidade de cuidados adicionais, sendo esta situação pouco frequente pela experiência do cirurgião. A obstetrícia cirúrgica realizada no bloco operatório é denominada de ressectoscopia e está reservada para o tratamento de algumas das situações referidas anteriormente mas mais complexas.

  • Em seguida, o canal cervical foi dilatado e foi realizada a ablação do endométrio.
  • Antes da cirurgia e com a paciente já anestesiada, foi realizada uma histeroscopia diagnóstica com biópsia dirigida do endométrio da parede anterior com histeroscópio de Bettocchi com canal acessório e pinça de biópsia.
  • A seguir, foi retirado o histeroscópio e realizada uma biópsia orientada com cureta de Novak.
  • Enviou-se o material obtido das duas biópsias e o produto da ablação foi mandado para exame anatomopatológico.

Assim, a reprodução humana cirúrgica é indicada no tratamento de pólipos, miomas, espessamento do endométrio, malformações da cavidade uterina, entre outros problemas. Esse procedimento consiste no corte e remoção dos pólipos, podendo ser uma amostra encaminhada para laboratório para que seja analisada e confirmada a benignidade. São muitas as situações que pedem o exame de Histeroscopia diagnóstica, mas a principal razão ainda é o sangramento anormal.

Os pólipos uterinos ou endometriais são, na sua maioria, lesões benignas, ou seja, não cancerosas, que em muitos casos não provocam sintomas. A avaliação de 639 mulheres com histeroscopia diagnóstica ambulatorial foi seguida de biópsia de endométrio com cureta de Novak e comparou-se a acurácia da biópsia endometrial às cegas com à da histeroscopia para lesões intrauterinas. Com a cureta de Novak, o valor de falso-negativos foi de 88,7% na detecção de pólipos e de ninety eight,5% para miomas submucosos com sensibilidade de 8,4% e 1,4%, respectivamente. A histeroscopia diagnóstica com biópsia de endométrio aumenta a acurácia, permitindo diagnosticar praticamente todas as lesões focais da cavidade uterina.

Por vezes, o médico pode indicar somente a observação do pólipo durante 6 meses, especialmente quando ele não apresenta sintomas como sangramento prolongado, intermenstrual, cólicas ou corrimento com mau cheiro. Nestes casos a mulher deve ter uma consulta de ginecologia a cada 6 meses para verificar se o pólipo aumentou ou diminuiu de tamanho.

Diferentemente da primeira, o propósito, aqui, é realizar procedimentos terapêuticos para corrigir algum problema. A histeroscopia cirúrgica requer anestesia que pode ser geral ou raquianestesia para evitar desconfortos. A polipectomia através da histeroscopia cirúrgica pode ser indicada para todas as mulheres saudáveis, pois os pólipos podem dificultar a implantação do óvulo fertilizado no útero, o que diminui as possibilities de gravidez. A cirurgia para retirada do pólipo uterino pode ser feita no seek the advice ofório médico com anestesia local, e deve retirar o pólipo e sua camada basal porque isto diminui o risco de desenvolvimento de câncer. A decisão da retirada dos pólipos, deve ser conversada entre médico e paciente, especialmente quando não há dor nem sangramento, porque depende do estado de saúde da mulher e se existe ou não historia de câncer anterior ou na família.

Além disso, em caso de suspeita de pólipos uterinos, a recomendação é consultar um médico especialista. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de exames, qual é o diagnóstico correto e prescrever o melhor tratamento. Em alguns casos, para melhor avaliação da cavidade uterina, pode ser realizada a histeroscopia.

Mais detalhes sobre histeroscopia

PóLipo Uterino: Principais Tratamentos

histeroscopia

Qual a diferença entre histeroscopia e videohisteroscopia?

Histeroscopia é uma importante ferramenta na Ginecologia para diagnósticos e cirurgias intrauterinas não-invasivas. A VIDEOHISTEROSCOPIA DIAGNÓSTICA permite a avaliação das patologias em casos de Histeroscopia é uma importante ferramenta na Ginecologia para diagnósticos e cirurgias intrauterinas não-invasivas.

Detalhes sobre cesariana